Connect with us

Policial

Tatiana é levada para exame de corpo de delito e passa por audiência de custódia ainda hoje

Postado

em

A ex-prefeita do Conde, no Litoral Sul do Estado, Tatiana Lundgren Correa de Oliveira, foi levada para exame de corpo de delito e deve passar por audiência de custódia ainda nesta terça-feira (06). Ela foi presa no início da manhã e levada para a sede do Grupo de Operações Especiais (GOE).

De acordo com o delegado Allan Murilo Terruel, “o GOE está se responsabilizando pelo exame de corpo de delito, que é a diligência natural depois do cumprimento da ordem e em seguida o encaminhamento para a audiência de custódia ainda hoje”. Na audiência de custódia, o juiz deverá definir o local de cumprimento da prisão preventiva da ex-prefeita do Conde.

 

Terruel explicou que a “ex-prefeita Tatiana foi presa em cumprimento de mandado de prisão preventiva, ela já é denunciada. Ela responde pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro, organização criminosa, diversos delitos”.

Além de Tatiana, também foi preso o ex-procurador do município, Francisco Cavalcante Gomes. Vários documentos também foram apreendidos diversos documentos que poderão corroborar com a deflagração de novas fases da Operação Condessa, que devem atingir novos personagens, adiantou Terruel.

O delegado afirmou que o ex-procurador “colocou alguns documentos dentro do carro, estacionou o veículo na rua de trás de seu imóvel e deixou a chave do carro em cima do pneu, sugerindo ali algum tipo de subterfúgio para retirar a possibilidade da polícia encontrar algumas coisas que devem ter valor e estão sendo analisadas”.

O pedido de prisão preventiva contra Tatiana, segundo Terruel dizem respeito a fatos novos e antigos. “Fatos antigos que dizem respeito ao cometimento de crimes que merecem a todo tempo uma resposta da Polícia e do Ministério Público e fatos novos que dizem respeito a esse tipo de atividade, como essa que vai passar a ser investigada e atitudes do Francisco, nós deveremos passar a investiga-lo pela possibilidade de ocultar provas”.

Blog do Galdino/Click PB