“Acredito que o grupo Paulino não vai parar por aí”, diz funcionária demitida do Regional de Guarabira

Pessoas humildes que ocupam cargos primários em repartições estaduais na cidade de Guarabira estão sendo vítimas de perseguição política e sumariamente demitidas dos cargos que ocupam. É o que ocorreu com pelo menos sete pessoas, que no final do mês passado perderam seus empregos no Hospital Regional de Guarabira.

De acordo com relatos feitos pelas vítimas, o motivo da demissão é o fato de elas não terem apoiado a candidatura de Roberto Paulino (MDB) a prefeito de Guarabira ou a candidatura de algum vereador da base do governo do Estado. Paulino foi apoiado pelo governador João Azevêdo (Cidadania) nas eleições do ano passado.

A reportagem do Portal25horas ouviu uma das vítimas. A senhora Silmara Xavier Trajano, que há seis anos trabalhava na recepção do Hospital Regional, ficou desempregada e credita ao deputado estadual Raniery Paulino (vice-líder do governo na Assembleia Legislativa) a articulação para tirá-la do cargo.

“Olha, desde a campanha passada ficou claro que quem não aderisse ao grupo Paulino e a algum vereador aliado a eles, iria perder o emprego. Fui procurada por coordenadores para eu declarar que estava com os candidatos deles, porém segui firme e segurei que iria permanecer com Marcelo Bandeira. Desde então veio as conversinhas , piadas e era claro o descontentamento dos demais com a presença no pessoal de Marcelo Bandeira pelos corredores dos hospital , e comentavam descaradamente na minha presença que quem fosse do grupo Marcelo Bandeira era para sair.  Pois dia 30/06 trabalhei até às 16h e fui informada que o meu contrato havia sido encerrado, e outro colega teria sido admitido na minha função. Acredito que o grupo Paulino não vai parar por aí , e em breve outras demissões acontecerão. A assessora de Raniery Paulino está todos os dias no hospital observando o que acontece”, relatou Silmara.

Na eleição passada, Marcelo Bandeira (PDT) acompanhou a candidatura de Teotônio Assunção (PDT), que tinha o apoio da vice-governadora Lígia Feliciano. Marcelo também apoiou a candidatura de João Azevêdo a governador, diferente de Roberto e Raniery Paulino. As demissão que estão ocorrendo por esses dias estariam sendo patrocinadas pelo deputado Raniery Paulino, à revelia das lideranças filiadas ao Cidadania, partido do governador, que tem dois vereadores, Renato Meireles e Josa da Padaria, e do secretário executivo do Orçamento Democrático, Célio Alves, que foi candidato a deputado estadual nas últimas eleições.

Matéria do Portal 25 Horas