Aliado de Guilherminho e Chico Mala força criança a aguar praça para culpar prefeito de Cuitegi

Aliado político do ex-prefeito Guilherme Madruga (Guilherminho) e do ex-vice-prefeito Francisco Ednaldo (Chico Mala) usou uma criança para fazer os serviços de aguagem em praça da cidade, como se o equipamento estivesse precisando de conservação e, por conseguinte, no intuito de culpar a gestão municipal em Cuitegi.

Josenildo, mais conhecido por “Gavião”, foi flagrado por popular (que não quis se identificar) pegando criança pelo braço e, de forma aliciadora, chegando até a forçar o menor a se utilizar de mangueira para aguar a Praça Flor Bela, mesmo o equipamento não precisando de água no momento.

Ao pegar a criança pela mão, forçando-a a aguar a praça, na mesmo ação Josenildo filmava tudo com o próprio celular, tudo com a finalidade de exibir as imagens em redes sociais, culpando a administração municipal.

O azar foi que um popular flagrou o possível crime de aliciamento de menor praticado por Gavião. O possível aliciador também não contava com a presença do prefeito Geraldo Serafim que, ao passar pelo local e ver a maneira como Josenildo usava a criança, chegou a reclamar com o aliado de Chico Mala de forma severa.

O prefeito reclamou do que viu, dizendo que aquela ação não poderia acontecer, pois se tratava de uma criança de menor, cuja a única atividade naquela idade deveria ser a de estar na escola e não sendo “forçada” a fazer serviço de pessoa de maior idade.

– Não faça isso. Essa criança deveria estar frequentando a escola e não sendo obrigada a fazer esse tipo de serviço – reclamou o gesto cuitegiense. O popular que viu a ação de Josenildo usando a criança constatou o fato ao prefeito de Cuitegi.

Em relação aos outros assuntos publicados em site da região, a gestão municipal explica que está há apenas um mês a frente da Prefeitura de Cuitegi, mas o salário do servidor foi pago, os postos estão abastecidos com medicamentos (fazendo licitação), as ruas sendo limpas e realizados os serviços de reposição de lâmpadas, e que os programas sociais serão mantidos, sobretudo em favor da população carente.

Quanto a operacionalidade administrativa, a atual gestão explica que o herdado da administração anterior foi desorganização, contas a pagar, caos financeiro e gerencial, obras inacabadas e falta de ação em favor do povo humilde.