EM CIMA DO MURO: Célio segue na indecisão entre Ricardo e Edvaldo

O secretário executivo do Orçamento Democrático Estadual, Célio Alves, e presidente da comissão provisória do PSB de Guarabira, cai em contradições no centro da crise política do PSB. O político concedeu entrevista no último domingo (18) no programa Paraíba Agora, na Rádio Rural AM, e declarou “com toda certeza” que Ricardo Coutinho é o melhor nome para comandar o partido no estado. Assista abaixo.

Na última segunda-feira (19), um dia após declarar favoravelmente a Ricardo Coutinho, Célio publicou uma nota em seu Facebook defendendo o “cumprimento dos mandatos conferidos ao presidente estadual Edvaldo Rosas e ao presidente nacional Carlos Siqueira”. O socialista declara ainda que “agir diferente seria um contrassenso de minha parte”.

Confira nota.

Não componho a direção estadual do PSB, mas diante de notícias envolvendo suposto posicionamento meu, cumpro o dever de esclarecer o seguinte.

Ninguém no partido questiona a dimensão da liderança política do companheiro Ricardo Coutinho, quadro capaz de presidir o PSB, bem como de assumir qualquer missão. De igual modo, não se pode negar a contribuição que o companheiro Edvaldo Rosas tem dado ao longo de anos para a organização do partido.

Embora eleito, creio que, pela relação que há entre eles, Edvaldo Rosas, uma vez instado pelo companheiro Ricardo Coutinho, fato que não é de meu conhecimento ter ocorrido, não hesitaria em transmitir a tarefa de presidir o PSB, respeitados os trâmites internos.

De igual modo, neste mesmo sentido, se parte do diretório estadual houvesse pautado reunião com o fim de discutir a proposta de troca de comando, não surgiria objeção.

Como se vê, a julgar pelas reações, a renúncia coletiva de parte do diretório, se ocorrida com este objetivo, não contribuiu com a unidade e a harmonia do partido

Por uma questão de coerência, assim como defendi a legitimidade da direção do PSB de Guarabira, do qual sou presidente, depois de questionamentos fora do âmbito partidário, defendo o cumprimento dos mandatos conferidos ao presidente estadual Edvaldo Rosas e ao presidente nacional Carlos Siqueira. Agir diferente seria um contrassenso de minha parte.

A exceção disso, insisto, no caso da Paraíba, seria a proposta dialogada para alçar o companheiro Ricardo Coutinho à presidência.

Diante dos fatos, cada companheiro do PSB deve agir com desprendimento para promover a unidade do partido, preservando o respeito mútuo, sobretudo, aos nossos líderes maiores, João Azevêdo e Ricardo Coutinho.

É fundamental não perdermos de vista o compromisso que tem com a Paraíba este projeto que tem mudado pra melhor o estado desde 2011.

O que nos une é maior do que aquilo que nos separa.

Escreveu Célio.

Uma pergunta, o mariense Célio Alves defende quem de fato para comandar o partido na Paraíba? A única certeza de todo o episódio é, que o radialista aproveitou o momento para atacar os veículos noticiosos do estado, desrespeitando a liberdade de imprensa.

Blog do Galdino