Há cinco anos, profissionais de Educação Física têm acesso livre como personal trainer em academias da PB, destaca Camila 

Serviço considerado essencial à saúde, principalmente durante a pandemia causada pelo coronavírus, tanto pelas contribuições para saúde mental e aumento da imunidade, quanto no combate às consequências da covid- 19, a prática de esporte orientada por profissionais de Educação Física sempre esteve na pauta de defesa da deputada estadual Camila Toscano (PSDB) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Nesta quarta-feira (1), Dia do Profissional de Educação Física, a parlamentar destacou a Lei 10.774/2016, de sua autoria, que há cinco anos mudou a realidade de mais de 6,6 mil profissionais registrados Conselho Regional de Educação Física da 10ª Região.

A Lei garante aos profissionais de educação física, que prestam serviços como personal trainer, acesso livre às academias para acompanhar seus clientes. O Conselho Regional de Educação Física da 10ª Região – Paraíba destacou que após a lei, não foram registrados mais problemas em relação a proibição do acesso de personal.

“Essa foi uma conquista da categoria que, junto conosco na Assembleia Legislativa garantiu sua aprovação e sua sanção em Lei. Lei essa que resguarda um direito do profissional de Educação Física de acompanhar seus clientes na sua atividade rotineira de exercícios. E neste domingo parabenizo todos os profissionais do nosso Estado pelo profissionalismo e dedicação a profissão”, destacou a Camila.

Direito – Hoje, com a Lei 10.774/2016, os usuários de academias de ginástica, devidamente matriculados, podem ingressar nestes estabelecimentos acompanhados por profissionais particulares de educação física, devidamente registrados no Conselho Regional de Educação Física, portando a cédula de identidade profissional.

Camila Toscano explicou ainda que o livre acesso é apenas para orientar e coordenar as atividades de seu cliente. “As academias de ginástica não poderão cobrar custos extras dos alunos nem dos profissionais de educação física para o desenvolvimento das atividades”, esclareceu.

Resultados – Uma pesquisa realizada pela Kaiser Permanente, em publicação no British Journal of Sports Medicine mostra que, quem pratica 150 minutos semanais de atividade física, moderada ou vigorosa, apresenta resultados significativos, com menor incidência de serem hospitalizados ou de morrerem devido à covid-19. O levantamento aponta que pessoas fisicamente ativas tendem a apresentar casos mais leves da doença em comparação aos inativos, e se recuperam mais rápido pós-infecção, especialmente quando se mantém ativas.

Meia-entrada – Também é de autoria de Camila o Projeto de Lei 2455/2021 que garante aos profissionais de Educação Física, regularmente registrados ao CREF 10/PB, o pagamento de meia-entrada em eventos esportivos realizados no âmbito do Estado da Paraíba. “O profissional de Educação Física precisa se posicionar como agente criativo e transformador, devendo se valer de eventos esportivos para visualizar a prática de atividades físicas de diferentes pontos de vista”, argumentou a deputada.

Da Assessoria