Obesidade deve atingir 75 milhões de crianças em quatro anos e Camila defende ações nas escolas para conter problema

Os dados sobre obesidade infantil no mundo crescem com muita rapidez. Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que em 2025 o número de crianças obesas no planeta chegue a 75 milhões. No Brasil, os índices também chamam a atenção. Registros do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que uma em cada grupo de três crianças, com idade entre cinco e nove anos, está acima do peso.

Nesta quinta-feira (3), Dia da Conscientização da Obesidade Mórbida Infantil, a deputada estadual Camila Toscano (PSDB) lembrou que é preciso debater e criar políticas públicas que possam combater esse crescimento da obesidade na infância e destacou que a escola é instrumento para também cuidar da saúde desse público, através de merenda de qualidade, ensinamentos sobre alimentação saudável e acompanhamento,

Como exemplo, a deputada lembrou do projeto de Lei 436/2019, de sua autoria e em tramitação na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), que cria o Cadastro de Obesidade Infantojuvenil nas Escolas de Rede Pública de Ensino da Paraíba. A deputada explicou que para a criação do cadastro, os alunos serão submetidos a avaliação para verificação do estado nutricional, triagem de risco para doenças crônicas e avaliação da capacidade física.

“O cadastro conterá todos os dados dos alunos e terá início com informações coletadas no início do ano letivo. Com base na avaliação, a escola alimentará o cadastro de obesidade infantojuvenil, identificando os alunos com desvios do estado nutricional”, explicou Camila, completando que o cadastro, segundo o projeto deverá ser enviado às Gerências Regionais de Educação e de Saúde e integrarão um banco de dados único do Estado. Com base nesses dados, o Governo desenvolverá ações e formula políticas públicas com o intuito de solucionar esse problema.

Obesidade – A obesidade infantil acontece quando a criança está com peso maior que o recomendado para sua idade e altura. As faixas de Índice de Massa Corporal (IMC) determinadas para crianças são diferentes dos adultos e variam de acordo com gênero e idade. Vários fatores contribuem para o crescimento da obesidade na população brasileira, em especial nas crianças. Um destes fatores é a mudança de hábitos alimentares ao longo das últimas décadas. Anteriormente, a população infantil tinha acesso a uma alimentação mais caseira, mais saudável. Hoje, há o consumo acentuado da comida industrializada.

Da Assessoria