Professor faz criticas sobre contratados e assessoria revelar que educador recebia mais de R$ 8 mil por mês em Riachão do Poço


Um prefeito tem o prazo de 4 anos para administrar determinado município, junto com o gestor, existe algumas pessoas que tem privilégios na gestão. Algo interessante ocorreu em Riachão Poço, Microrregião de Sapé, servidores eram agraciados com altíssimos salários pagos pela prefeitura, em 2016. É de se estranhar, quando uma determinada pessoa faz criticas constantes, por isso, é necessário encontrar os principais motivos pela qual, prega com tanto afinco suas ‘criticas’.

Vejamos, de acordo com o Sagres, o ex-prefeito de Riachão do Poço, Zé Constâncio (PSDB) no penúltimo mês [novembro de 2016] do seu mandato, teve um gasto de R$ 1.000.862,74, nos cargos efetivo, eletivo, comissionado e contratado.  
Fazendo a separação de cargos, Zé Constâncio gastou com comissionados e contratados naquele mês, cerca de R$ 180.845,68. Nos últimos dias, pessoas que faziam parte da gestão de Zé, utilizando sua pagina nas Redes Sociais, atacou a administração da atual prefeita, Maria Auxiliadora – Cilinha (DEM).

Segundo o Sagres, uma das pessoas identificada pela assessoria da prefeitura, como Ronaldo da Silva, recebeu em novembro de 2016, em torno de R$ 8.279,48 através da Secretaria de Educação. Em seu perfil no Facebook, Ronaldo critica a atual gestão, com vídeos, fotos e texto. Veja abaixo.


De acordo com interlocutores da prefeita Cilinha, ele esquece, que os problemas encontrados hoje, são heranças da administração de Zé Constâncio.

“É essse valor que ele [Ronaldo] deixou de receber da prefeitura, por isso demonstra o nervosismo com a atual gestão nas redes sociais”, completou o interlocutor.

Um professor do nível I, recebe hoje o salário base de R$ 3.985,66.